Resenha Crítica de Livro: Infinito - série Os Imortais - (contém spoiler)

Publicado originalmente no blog Versão Literária.

Terminada a série Os Imortais. Sei que não deveria ter feito resenhas de uma série, especialmente, uma tão fraquinha, para começar o blog, já que ele é relativamente novo, tendo nascido há menos de um mês. Mas deixe-me explicar. É que eu já escrevo resenhas literárias há um bom tempo no blog que originou a página, e decidi que literatura merecia um blog só pra ela exatamente quando estava lendo esta série. Estou fazendo resenhas novas, mas também importando, aos poucos, as minhas resenhas mais antigas, oriundas do meu outro blog. Mas tudo bem, este post não é para justificar nada, mas sim para dar meu parecer sobre o último livro Infinito, que, adianto, compensou pela série inteira. Não esqueça de ler as sinopses dos volumes anteriores Para Sempre, Lua Azul, Terra de Sombras, Chama Negra e Estrela da Noite


Artigo Familia.com.br #01 - "5 maneiras de se envolver com a escola de seu filho"

Oi pessoal!
Estou um cadinho sumida, mas nada de sério. Hoje, então, voltei com uma novidade aqui no blog. É que faz mais ou menos um ano que estou escrevendo para o site Familia.com.br, como já mencionei anteriormente. E faz um tempinho que estou querendo colocar uma prévia dos meus artigos aqui. E para começar, vou colocar um dos que mais gostei de escrever, cujo tema chama a atenção para a importância da participação dos pais da vida escolar dos filhos, e traz informações importantes sobre como o sucesso na educação das crianças está muito atrelada à maneira como os pais se envolvem com ela. Então, aí vai:

As crianças obtêm mais sucesso educacional com uma participação ativa dos pais nas suas atividades escolares. Confira cinco formas simples e eficientes de tornar mais efetivo o envolvimento dos pais na escola do filho.

Muitos pais pensam que apenas levar o filho na escola e buscá-lo ao término das aulas é o suficiente para um aprendizado bem sucedido. Mas a verdade é que uma das grandes estratégias para o crescimento escolar de uma criança é a participação ativa e constante dos pais na vida escolar do filho. Primeiro, para que os pais fiquem por dentro de tudo o que acontece no espaço escolar. E segundo, porque o filho sentirá segurança ao perceber que os pais se preocupam com o processo de aprendizagem dentro e fora da sala de aula.

Resenha Crítica de Filme: A Hospedeira

Depois de um bom tempo que li o livro A Hospedeira, venho dar as caras para dar minha insignificante opinião sobre sua adaptação ao cinema. E tenho que admitir que a opinião sobre o filme diverge, e muito, da crítica que fiz ao livro, que na época foi bem positiva.

Sinopse: A Hospedeira relata a história de um mundo bem diferente do atual em que vivemos. É um mundo perfeito, sem guerra, desonestidade, bagunça, doenças incuráveis. É o mundo ideal. Mas com um pequeno detalhe: não são exatamente seres humanos que vivem, ou pelo menos, que vivem ativamente nele. Quem realmente habita são seres, ou almas, como são chamados, que invadem a mente dos homens, e os dominam, vivendo em seus corpos como se fossem, de certo modo, parasitas. Alguns dos humanos resistentes estão à solta por aí, mas precisam se esconder para não se tornarem os próximos hospedeiros. Melanie Stryder (Saoirse Ronan) é uma dessas pessoas, que preferem a morte a serem dominados por esses seres. Mas, infelizmente, ela não consegue escapar e passa a dividir sua mente com uma alma, a quem apelida de Peregrina. A diferença entre Melanie e a maioria dos humanos dominados é que ela não permite que sua própria mente se esconda ou permaneça inativa até que entre em um estado de "coma" permanente. Melanie continua resistindo mesmo depois de ter sua mente invadida, e um fato raro acaba acontecendo, Peregrina é que passa a ser influenciada por Melanie e escapa dos Buscadores, ou de uma Buscadora em si (Diane Kruger), que desejam capturar os humanos resistentes. Quando finalmente conseguem sair da vista da Buscadora, ambas passam a viver uma aventura em busca das pessoas que Melanie tanto ama, e inclusive passam a viver um romance bem, digamos, peculiar, já que Peregrina se apaixona por Ian (Jake Abel), enquanto Melanie ama, como sempre amou Jared (Max Irons). Como ambas poderiam viver seus romances sem a interferência da outra, se fazem parte de um único corpo?

Crítica: É difícil se falar de um filme adaptado de livro sem compará-lo ao livro em si. Uma vez cheguei a levar uma bronca de um amigo cineasta quando ele disse que os filmes adaptados não são feitos unicamente para os fãs dos livros. E é verdade. Mas o que acontece, pelo menos comigo, é que a expectativa acerca de um filme adaptado acaba sendo enorme quando já me tornei fã do livro, porque imagino poder ver na tela aquilo tudo que imaginei quando corri os olhos pelas páginas, só que geralmente os efeitos da produção cinematográfica superam surpreendentemente minha pobre imaginação. Então é lamentável quando obras literárias tão geniais acabam se tornando filmes tão medíocres. E, lamento aos fãs, mas foi isso que senti com A Hospedeira. O que mais me chateia é saber que atores tão bacanas fizeram parte do elenco. O caso é que o enredo tão cheio de aventuras acabou se tornando um filme bem parado, sem grandes emoções. Não sei, mas parece que a Melanie e a Peregrina originais tinham mais ânimo, mais esperteza, e apesar de gostar pra caramba da Saoirse, achei ela muito fraca no papel da Melanie, embora carismática como sempre, e mais linda do que nunca. Enfim, não me agradou tanto quanto eu esperava.

Minha Nota: 7,0

Trailer

Resenha Crítica de Livro: Estrela da Noite (Série Os Imortais)

Falei no post anterior sobre a série Os Imortais, que o enredo dava uma boa melhorada depois do quarto livro. E depois de ter finalizado a série, confirmo: de fato a história de Ever e Damen deu uma grande reviravolta e me surpreendeu, especialmente no sexto livro. Mas vou falar hoje sobre o 5° volume, Estrela da Noite. Para isso, repito o que já disse nos posts anteriores, espero que você já tenha lido os livros Para Sempre, Lua Azul, Terra de Sombras e Chama Negra porque, como se trata de uma série, preciso fazer spoiler, não tenho escolha.

Resenha Crítica de Filme: Os Delírios de Consumo de Becky Bloom

Se tem uma coisa que não sou é consumista compulsiva. Aliás, sou bem mão de vaca. Que o digam meus irmãos, meus amigos e meu marido. Lembro-me de quando era adolescente, que eu esperava até as roupas e os calçados estarem impossibilitados de serem usados, para aí então, ir às compras. Uma vez, em uma gincana da escola, em que os grupos foram divididos por cores, fiquei com a equipe preta. Bem faceira,  por sinal, porque estava na fase heavy metal e adorava preto. O caso é que, por incrível que pareça, eu não tinha sapatos pretos, nem um tenizinho sequer. Na verdade, lembro-me de ter somente um tênis claro todo surrado, um chinelo e uma pantufa daquelas enormes de bichos. Era pão dura demais! Então, ao invés de comprar um tênis preto, fiz algo inusitado só para economizar: comprei uma lata de tinta em spray, que era muito mais barata que o tênis mais fajuta da loja, e pintei todinho de preto o meu tênis branco, que estava até rasgado. Depois que todo mundo começou a perguntar de onde vinha o forte cheiro de tinta, tomei vergonha na cara e comprei uma Conga, que durou mais de cinco anos. Hoje melhorei um pouco, mas ainda não sou daquelas que fogem do controle sempre que passam por uma vitrine.

Qual é o valor do seu casamento?

Pessoas que não dão valor ao cônjuge, maltratam, traem ou não sabem de algum modo como valorizar seu casamento me deixam bastante triste. E pessoas que banalizam o relacionamento conjugal como se fosse um simples contrato que se pode anular no primeiro aborrecimento deveriam tentar entender um pouco melhor qual é o propósito dessa união sagrada. Meu casamento não está tão antigo a ponto de se enquadrar em alguma boda valiosa, mas uma das lições importantes que aprendi nesses quase nove anos ao lado de meu grande amor e companheiro eterno é que nem sempre a vida vai trazer lindas flores. Que, sim, às vezes podemos pensar em separação, mas quando percebo que o casamento é muito mais do que um flerte, ou um namoro de portão e, principalmente, que o Salvador Jesus Cristo está no centro da minha união, percebo que os votos matrimoniais que fiz têm muito mais valor do que qualquer percalço que possa surgir.

Reflita sobre a mensagem do vídeo abaixo, e comece hoje a reconstrução de seu casamento, caso ela seja necessária. Sempre há tempo para isso, desde que você coloque seu amor acima de seus problemas.



Leia também:

Resenha Crítica: Chama Negra (Série Os Imortais)

O chato de se ler série e depois resenhá-la é que você acaba deixando de ler outros livros por um tempo muito longo. Embora Os Imortais seja de leitura super rápida, estou me enrolando um pouco para deixar meu parecer aqui porque tenho um rapazinho de quatro meses, meu principezinho, que precisa muuuito de mim. Mas a esta altura do campeonato estou no último livro. Então, vamos à continuidade. Para ler este post, o ideal é que você já tenha lido os primeiros três livros, Para Sempre, Lua Azul e Terra de Sombras, porque sou obrigada a fazer spoiler.

Resenha Crítica de Cinema: Corajosos

Há mais de dois anos, quando assisti pela primeira vez à história de Caleb Holt e sua incrível tentativa de salvar seu casamento, no filme baseado no livro homônimo À Prova de Fogo, fiquei bastante curiosa para conhecer a mente brilhante que havia conseguido produzir um filme evangélico, e conquistar fãs não necessariamente cristãos. Na minha mera e insignificante opinião, tal feito é uma grande conquista, já que, não sei porque motivo, geralmente os cinéfilos não gostam de misturar cinema com religiosidade, ou muitos dos que gostam estão escondidos por aí, como eu =). De qualquer modo, essa mistura, À Prova de Fogo, foi fascinante, tanto quanto outra produção dos irmãos Kendrick, intitulada Corajosos.

Resenha Crítica de Livro: Terra de Sombras (Série Os Imortais)

Estava analisando as datas em que os livros da série Os Imortais, de Alyson Noël, foram publicados e percebi que os seis volumes tiveram lançamento em 2010 (os três primeiros) e 2011 (os três últimos), o que, presumo, tenha feito a autora se desdobrar em duas para conseguir não sucumbir (exagerada) à pressão e escrever toda a história, deixando todo o romance de Damen e Ever apresentável à editora e ao público. Sou um pouco contra pressões, especialmente quando envolve a criatividade, porque quando elas ocorrem, a obra de arte quase sempre acaba apresentando falhas que saltam aos olhos do público. Claro que estou tendo um visão subjetiva. Não é só porque seja difícil para mim escrever três livros em um ano, que também o será para outras pessoas. Enfim... Vamos à sinopse de Terra de Sombras, o terceiro livro da série. Veja os posts sobre os volumes anteriores: Para Sempre e Lua Azul.

Resenha Crítica de Cinema: A Invenção de Hugo Cabret

Apesar de Martin Scorsese ser um dos grandes queridinhos de Hollywood, eu não sou assim tão fã desse diretor de mão cheia, à frente de 29 filmes. No entanto, há dois filmes dele que me conquistaram bastante, um deles A Ilha do Medo, está entre meus filmes de suspense favoritos, o que é um grande fato, se levar em consideração que eu não sou tão fã de suspense. Mas a produção bastante peculiar de Scorsese, e que rendeu 11 indicações ao Oscar de 2012 foi A Invenção de Hugo Cabret, uma mistura de drama, romance e aventura.

O que é e como ser mais resiliente?

Sempre que me deparo com algum problema, fico me lamentando por que não sou forte o suficiente para encará-lo com firmeza e coragem. Lembro-me de ser assim, desde a infância, quando achava que era mais fácil fugir dos problemas do que enfrentá-los. E realmente é mais fácil, o que não significa ser a melhor saída. Na verdade, eu nunca fui muito boa em me recuperar das "pauladas" da vida. Sempre fiquei meio que me lamentando e me deprimindo, e por isso, acabei me fechando para determinadas situações.

No entanto, de repente, como se uma resposta para minhas dúvidas estivesse surgindo do nada, deparei-me com uma palavra extremamente chamativa e de forma inesperada. Essa palavra é resiliência, que, confesso, nunca tinha me chamado a atenção. Mas quando ela pulou aos meus olhos duas vezes, uma por intermédio de uma amiga, e a segunda, por intermédio de um artigo encontrado n'A Liahona, acabei pensando: "hei, quem sabe eu precise realmente aprender sobre isso".

O que significa

A palavra resiliência significa voltar à forma original. No dicionário, um dos conceitos é "poder de recuperação". Ou seja, ser uma pessoa resiliente quer dizer que, por mais difíceis que sejam os problemas, ela vai conseguir se recuperar e continuar firme e forte. E para ser uma pessoa resiliente, é necessário um árduo e persistente exercício. E a forma mais eficiente de se exercitar é, como em tudo, a repetição.

O artigo em questão orienta os pais a ajudarem seus filhos a se tornarem resilientes. Um dos trechos que me chamaram a atenção foi esse: "Ao se tornarem resilientes, os filhos compreendem e aceitam esses dois fatos. Veem a vida como desafiadora e em constante transformação, mas acreditam que podem lidar com esses desafios e essas mudanças. Encaram os erros e fraquezas como oportunidades para aprender e aceitam o fato de que a derrota pode preceder a vitória".

Agora, compreendendo que todos nós temos o poder da resiliência, quem sabe seja mais fácil enfrentar os problemas acreditando que depois poderemos encontrar o jeito certo de voltar à "forma original". Não deixe de ler o artigo completo. É uma lição para ensinar aos filhos, mas certamente você também vai aprender um bocado.

Resenha Crítica de Livro: Lua Azul (Série Os Imortais)

Depois de muito tempo sumida, estou dando, aos poucos, como você já deve ter percebido, o ar sem graça da minha presença. Como já disse anteriormente, estou preparando uma novidade, e agora que meu bebê já está maiorzinho, acho que conseguirei colocá-la em prática. Não é tão novidade para muita gente que já é profissional, mas pra mim, sim. É um adendo aos meus temas do blog. Espero que dê certo e que vocês gostem. Hoje, vou dar continuidade à minha avaliação da série Os Imortais. Confira minha avaliação do primeiro livro, Para Sempre. E agora quero explanar minha opinião sobre o segundo, Lua Azul.

Resenha Crítica de Filme: Anjos da Vida - Mais Bravos que o Mar

Fiquei por um bom tempo relutante em assistir ao filme Anjos da Vida: Mais Bravos que o Mar, pois leiga sobre o enredo, acreditei que fosse algo do tipo Mar em Fúria. Com receio de que fosse me decepcionar, deixei pra lá, e nem procurei por informações, até que, depois de ver o comercial de reproduções seguidas do filme, uma vez em TV aberta e várias em TV fechada, resolvi matar minha curiosidade de vez, e assistir a essa produção, que é bem antiga já.

Encontre a solução que você precisar

É praticamente impossível que você não esteja passando por algum problema, por menor que pareça. Seja lá quais forem seus percalços, você concorda que é sempre bom encontrar respostas para suas dúvidas? Sejam suas dificuldades graves ou não, saiba que elas possuem soluções, sempre, embora às vezes você não as tenha prontamente.

Mas hoje não vim falar sobre problemas. Não de forma direta, pelo menos. Acontece que eu gostaria de lhes contar sobre uma baita oportunidade que surgiu pra mim em agosto. Não pense que é marketing multinível, nem pirâmide, não... hehehe... Foi a solução para um pequeno problema que me afligiu durante muuuuito tempo.

O jornalismo e o meu dilema

Para começar, preciso dizer que minha família, e principalmente meus filhos são tudo pra mim. Mas tudo mesmo. Nada jamais faria com que isso mudasse. Então, depois que me formei em jornalismo, fiquei pensando em como poderia conciliar meu trabalho com a formação de minha família (não tinha a Kaline ainda na época). E, apareceram muitas oportunidades incríveis pra mim, mas em todas elas, eu teria que me ausentar de casa, e quando eu decidi que seria mãe, decidi também que ficaria sempre perto dos meus filhos.

Fiquei, no entanto, por um bom tempo me perguntando e perguntando pra Deus se haveria uma oportunidade que me permitisse ser útil como jornalista e para as pessoas, além de ser uma mãe corujíssima. Convenhamos que ser jornalista e ser mãe de família é uma combinação rara. Todos os meus colegas diziam isso. Tanto que eu quase desisti de ser jornalista, apesar de gostar demais de escrever e de realizar outras funções que aprendi na época da faculdade. Gosto muito de rádio também.

Deu de lenga lenga e vamos para o ponto principal do post

Mas então, eis que em agosto de 2012, uma pessoa maravilhosa, um dos anjos da minha vida, Christina é o nome dela, procurou escritores que a ajudassem a desenvolver um projeto super bacana, que se tratava de um site sobre assuntos familiares. Não imaginei que eu poderia ser uma dessas escritoras, porque, como diz meu irmão Daniel, eu tenho a auto-estima de uma porta. Mas, como diz meu outro irmão Davi, a "tentiada é livre", e como esse era o trabalho com o qual sempre sonhei, é claro que mandei bala. E hoje sou uma das escritoras desse site, Familia.com.br, que, como você poder ver, está entre as páginas do meu blog.

É nesse site que você pode encontrar respostas para qualquer dúvida. Acredite! Praticamente tudo o que você precisa saber sobre assuntos cotidianos e familiares poderá encontrar nesse site. Nós somos em dezenas de escritores, por isso, temos quase 1500 artigos já escritos. Também contamos com quase 7 milhões de seguidores em nossas páginas sociais e mais de 20 mil membros nos grupos do site. Enfim! Você precisa conferir, porque certamente sairá edificado. Nossa principal página no Face é Eu Amo a Minha Família. É só curtir! =)

Clique na imagem abaixo e confira alguns dos meus artigos. Beijos! =)


O gaguinho do Programa Silvio Santos

Vocês vão dar risada da minha cara, mas domingo à noite eu gosto bastante de assistir ao Programa Silvio Santos. É tradição de família, sabe? Desde criança, eu assistia às palhaçadas do seu Silvio junto com meu pai. E embora tenha deixado esse hábito para trás por alguns anos, de vez em quando ainda me pego acompanhando as caduquices do dono do SBT.

Vou parar de enrolação e ir ao objetivo de hoje. Enquanto eu não volto com as postagens regulares, incluindo novidades que postarei depois que eu fizer minha cirurgia em julho, vou postar outras coisitas, sem uma rotina definida. Assim que meu bebê estiver maiorzinho e já mais acostumado aos horários, volto com as postagens temáticas de sempre. Hoje, então, vou postar um vídeo bem divertido que vi no Programa de Calouros do Silvio Santos, por isso a conversa sobre ele. Fique com o Gaguinho Antônio...

Um dia a casa cai 2

Quem é da minha geração, e até alguns que não são, talvez se lembrem do filme Um dia a casa cai, com o Tom Hanks, quando ele ainda era um jovenzinho. Normalmente, não sou do tipo que gosta de filmes de comédias forçadas, mas tenho que admitir que esse especificamente me arrancou muita gargalhada.

Uma das coisas que mais me divertiram na história do casalzinho que comprou a casa dos sonhos e depois descobriu que ela precisava de uma reforma completa (era quase mais vantagem demoli-la a reformá-la) era a eterna falácia do engenheiro, dos pedreiros e de todos os envolvidos: “a reforma vai levar duas semanas”. E as duas semanas nunca terminavam.

Família unidas aqui e para sempre

As famílias podem ser unidas não somente para esta vida, mas também para toda a eternidade. Esse é um dos princípios mais importantes de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. O relacionamento familiar é a base fundamental de nossa religião, e saber que o Senhor permite que possamos ficar unidos depois da morte sempre foi algo que me tocou profundamente. O mesmo aconteceu com o personagem dessa história verídica, que recebeu o testemunho dessa verdade eterna. Confira!

Crônica da Semana - Minha Licença Maternidade - Parte 1

Oi, pessoal! Estou de volta depois de um tempo, mas agora vou tentar ser mais pontual. Não prometo nada, já que meu homenzinho chegou e... sabe como são os bebês, né? Não cumprem muito bem os horários das mamães... hehehe... de qualquer jeito, dê uma olhadinha na minha crônica desta semana... Beijos

Olá! Desculpe as semanas de ausência. Mas vocês lembram que comentei no meu post de estreia que tinha uma menina linda e tagarela chamada Kaline, e que estava grávida de um garotinho chamado Kalel? Bom, ele chegou dia 19, bem no dia em que meu marido e eu completamos oito anos de casados. Ele é um anjinho, bem calmo na maior parte do tempo, exceto quando vou trocar as fraldas dele. O rapazinho fica uma ararinha de tão brabo.

Não poderia escolher outro assunto mais apropriado, já que ser mãe é o trabalho que mais amo no mundo. De fato, os dois momentos mais felizes e emocionantes pelos quais já passei nesta minha longa estrada da vida foram os segundos em que escutei o chorinho das duas pessoinhas mais importantes da minha vida. Não tem como explicar a felicidade que senti.


Crônica da Semana: Qual é seu nível de azar?

Oi, pessoal! Depois de muito tempo fora do ar, hoje voltei, mas rapidinho, só pra anunciar a crônica da semana passada do blog da Fer, Segredos em Livros. Confere um pedacinho aqui e depois vai lá no blog dela, tá? Beijos...

Qual é seu nível de azar?

Ganhei um presente mais do que inusitado no Natal. Mas antes de falar dele, quero mencionar o fato de que sou beeeem azarada. Quase nunca ganho nada em sorteio nenhum. Só para você ter ideia do nível do meu azarão, vou contar um fato que aconteceu quando eu tinha pouco mais de 10 anos.

Aconteceu quando eu fazia curso de italiano. No fim do primeiro ano, a escola decidiu realizar um grande jantar de despedida. Não me lembro de muitos detalhes, mas me parece que eles haviam preparado um presente diferente para cada aluno. Só que eles seriam sorteados. Ou seja, todos deveriam receber uma lembrancinha, mas o que cada um levaria para casa seria sorteado, para não dar margens para reclamações, ou resmungos sobre como um foi mais favorecido que o outro.

Continue Lendo...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...